Contemporaneamente, percebemos uma interação bastante dinâmica e frequente entre as organizações e seus públicos. A marcante presença das tecnologias de informação e comunicação (TICs) na sociedade e sua apropriação por diferentes setores e camadas sociais têm criado cenários desafiadores e instigantes para a comunicação estratégica e, principalmente, os estudos de público. Nesse contexto, as interações estabelecidas com as organizações são algo que deixa muitos vestígios informacionais. As organizações têm buscado estratégias para se apropriar desses dados de forma a construir interações mais significativas e relevantes com seus públicos. Por outro lado, os públicos esperam mais das organizações, ao mesmo tempo em que se veem diante dos dilemas da segurança e do acesso a dados pessoais. Diante disso, destacamos a necessidade de estudos que busquem compreender e refletir sobre as complexidades colocadas às organizações ao planejar e executar estudos de público que deem conta dessa ambiência fluida.

Coordenação: Camila Alves Mantovani