A pesquisa em andamento apresentada ao Departamento de Comunicação Social da UFMG como pré-requisito de ingresso na carreira docente investiga como se constituem os processos de advocacy, formação de lideranças e de representação nas organizações, particularmente nos movimentos sociais e ONGs ligados às pessoas com deficiência. Interessa-nos compreender como a comunicação conforma essas lutas sociais e como esses movimentos são representados, como suas demandas são traduzidas para um vocabulário público na esfera de visibilidade e quem fala em nome de quem nessas lutas. À luz da aproximação entre os estudos de representação não-eleitoral (Saward, 2009; 2010; Urbinati, 2006; Lavalle et al 2006; Urbinati e Warren, 2008, Rehfeld, 2009) e de comunicação pública (Matos, 2009; 2012; Nobre, 2011) discute-se os processos comunicacionais que permeiam o ato de representar. Buscar-se-á identificar o que, quem e como se representa os discursos sobre a educação das pessoas com deficiência, tanto do ponto de vista das lideranças, quanto de gestores, legisladores e outras fontes.

Coordenação:  Regiane Lucas de Oliveira Garcêz

Integrantes: Pedro Henrique da Paixão Rocha (bolsista Fapemig de Iniciação Científica)