Você sabia que a Rádio Terceiro Andar, projeto vinculado ao Afetos, foi pensada há mais de dez anos? Apesar de ter sido iniciada em 2017, a ideia de criar uma webrádio colaborativa, que visa valorizar os afetos dos estudantes de Comunicação Social sobre o rádio, já havia sido elaborada há alguns anos pela professora do curso de Comunicação Social da UFMG, Sônia Pessoa.

A história da criação da Rádio Terceiro Andar e as experiências vivenciadas no projeto foram compartilhadas no Grupo de Trabalho (GT) História da Mídia Sonora, do V Encontro Regional de História da Mídia. As alunas pesquisadoras do Afetos e  colaboradoras da webrádio, Karla Escarmigliat e Stephanie Boaventura, e a coordenadora do projeto, Sônia Pessoa, apresentaram artigo sobre o processo de criação da webrádio e falaram sobre o ponta pé inicial para o desenvolvimento do projeto, em 2006.

Na ocasião, a professora Sônia realizava outro projeto, a Web Rádio Amirt, em parceria com a Associação Mineira de Rádio e Televisão, em outra instituição de ensino, na qual estudantes fizeram a transmissão ao vivo de um congresso da entidade. Foi então que ela teve a ideia de criar uma webrádio gerida pelos estudantes. Porém, só em 2017, na turma da disciplina de Radiojornalismo e Mídias Digitais, do curso de Comunicação Social, surgiram as condições para a concretização do plano já na UFMG.

O evento teve início nesta terça-feira (5) e prossegue até a noite desta quarta-feira (6) no Uni-BH.

 

tRaj
#ParaTodosVerem: pesquisadores do GT História da Mídia Sonora, do V Encontro Regional de História da Mídia, estão reunidos na sala do Uni-BH. Eles estão posicionados para a foto. Há uma quadro ao fundo, e alguma carteiras nas laterias.

Deixe uma resposta